Home 
29/07/2020 às 09h40
Como saber se a criança está resfriada ou com a Covid-19?

INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19.

Da Redação | Valter Lima

É importante lembrar que o novo coronavírus não é doença de idoso. Afeta pessoas de todas as idades, em qualquer classe social, porém é mais grave nos mais velhos e em portadores de doenças do coração e diabetes, entre outras. 

Sendo assim, as crianças também podem ser acometidas, só que, mais frequentemente que adultos e idosos, não têm sintomas ou, então, apresentam um quadro leve, capaz de ser interpretado como um resfriado comum.

Na China, um estudo feito com mais de 2,1 mil pacientes pediátricos com SARS-CoV-2 concluiu que mais de 90% foram assintomáticos ou tiveram manifestações leves ou moderadas. Apenas 5,9% evoluíram para complicações, com um único caso letal. Desde que não tenham outras condições de saúde, portanto, os pequenos não estão no grupo de risco da Covid-19.

Isso, contudo, não significa que a população infantojuvenil esteja livre de problemas se a infecção pelo novo coronavírus vier a ocorrer. Mesmo porque temos visto, no Brasil, alguns casos graves em bebês, crianças maiores e adolescentes. Quando se preocupar, então, já que os pequenos quase sempre ficam com tosse e nariz escorrendo no outono?

Se forem só sintomas mais altos, no nariz e na laringe, com febre baixa ou sem febre, utilize os recursos que o pediatra recomenda nesses casos – soro no nariz, inalação e medicamentos sintomáticos, por exemplo –, redobre o cuidado com a higiene para evitar se contaminar e restrinja o contato do resto da família com a criança. 

O sintoma mais grave da Covid-19, e que deve motivar a procura pelo pronto-socorro, é a falta de ar. Acontece que bebês – e até os maiores – não conseguem relatar essa manifestação. Portanto, ligue o alerta se:

- A respiração do pequeno se tornar rápida e superficial.
- As costelas da criança ficarem à mostra no momento da respiração.
- A fúrcula (entre as clavículas) afundar quando a criança respirar.
- As asas do nariz se mexerem a cada inspiração (a criança buscar ar).
- A criança se cansar para comer e beber.
- Houver irritabilidade e dificuldade para dormir diferentes do habitual.

Esses sinais indicam que a criança pode estar com os pulmões bem comprometidos e precisa de atendimento médico de emergência – aliás, isso vale para qualquer infecção respiratória, não só para a Covid-19. Nesse caso, avise seu pediatra e vá ao pronto-socorro mais próximo.


Mas pode ser amigdalite, faringite, otite...

É verdade. Se a criança apresentar um quadro respiratório mais arrastado, ou mesmo silencioso, com febre por mais de três dias, ela terá de ser vista por um médico. Há uma infinidade de diagnósticos que podem ser possíveis. Lembre-se de que a DaVita oferece o serviço de Pronto Atendimento Pediátrico em várias unidades de atendimento, com o suporte de exames laboratoriais e de administração de medicação. Para saber mais, clique aqui.

Fonte: Davita/Serviços Médicos

P U B L I C I D A D E


Link
Comentar pelo facebook:

Notícias relacionadas