Home 
04/07/2019 às 20h11
Bandidos clonam WhatsApp de usuários no Piauí

A situação é preocupante e já chegou ao conhecimento da Polícia Militar.

Folha Atual

Os crimes virtuais estão cada vez mais comuns. Na região de Picos, uma nova modalidade tem feito várias vítimas: a clonagem do aplicativo WhatsApp. A situação é preocupante e já chegou ao conhecimento da Polícia Militar que tem orientado a comunidade sobre medidas que devem ser adotadas para evitar esse tipo de crime.

O comandante do 4° Batalhão de Polícia Militar, tenente coronel Edwaldo Viana, explicou que o golpe da clonagem já fez pelo menos quatro vítimas na cidade e ocorre sempre no mesmo esquema operante: clona-se o aplicativo da vítima e mensagens são enviadas para os contatos do usuário solicitando depósitos bancários.

“As pessoas que cometem este tipo de crime residem em outros estados, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina. Essas pessoas clonam a conta do WhatsApp do usuário e tem acesso a tudo que você fala, arquivos de vídeos, fotos e seus contatos. Daí se passa pela vítima e começa a aplicar o golpe, mandando mensagem geralmente pedindo depósito financeiro”, disse o comandante.

O tenente coronel Edwaldo Viana, ressaltou ainda que o crime tem se espalhado por todo o país e que qualquer usuário do aplicativo pode se tornar vítima. Segundo ele, no caso mais recente, ocorrido no dia 24 de julho, a vítima foi lesem R$ 700,00.

“Já tenho denunciado esse tipo de crime à imprensa e nas redes sociais, para que as pessoas não caiam nesse golpe. No caso mais recente, a irmã teve o WhatsApp clonado e os criminosos enviaram uma mensagem para outra irmã mencionando que necessitavam da quantia urgente de 700 reais. As pessoas, no nervosismo que é normal nestes casos, não checam as informações e caem no golpe”, disse.

A orientação da Polícia Militar é que os usuários sempre procurem contatar as pessoas quando receberem mensagens suspeitas. Em caso da ocorrência do crime buscar registrar o Boletim de Ocorrência na Central de Flagrantes para que o caso seja investigado e que se possa tentar reaver a quantia em dinheiro subtraída.

P U B L I C I D A D E


Link
Comentar pelo facebook:

Notícias relacionadas