Home 
13/04/2018 às 14h21
Sobe para 1.200 desabrigados no Estado do Piauí

Alguns acessos só de lancha ou canoa.

cidadeverde

Levantamento da Defesa Civil/Cidadeverde.com constatou que nesta sexta-feira (13) mais de 1.200 pessoas estão desabrigadas com as chuvas no Estado. As situações mais críticas são em áreas da zona rural e ribeirinhas que deixam povoados isolados e com acesso só de lancha ou barco. Prefeituras pedem ajuda do Corpo de Bombeiros para socorrer as famílias desabrigadas.

No Estado, são 13 cidades em situação mais críticas com decretos de emergência aprovados ou em análises. 

A secretária de Assistência Social de Batalha, Pauline Neves Melo, falou com equipe do Cidadeverde.com e disse que a cidade já tem povoado com acesso só com barco.

"O rio Longá subiu de ontem pra hoje e estamos com povoados isolados e com acesso só de barco. Já solicitamos a lancha do Corpo de Bombeiros", disse a secretária.

No povoado Santa Luz, em Teresina, foi preciso o uso de barco para retirar as famílias do local, devido a elevação do leito do Rio. 

A elevação do leito dos rios aumenta o número de desabrigadas no Estado, devido as chuvas que fizeram com que as águas invadissem residências. A situação é preocupante nas cidades de Miguel Alves, Luzilândia, Barras, Campo Maior, entre outras, incluindo a Capital onde será decretado estado de calamidade pública nesta sexta-feira (13). 

Teresina

Em Teresina, de acordo com o Serviço Geológico do Brasil, antigo (CPRM), o nível da água subiu mais de 4m90cm no Encontro do Rios. 

O secretário municipal de Comunicação, Fernando Said, ressalta que a Capital tem algumas particularidades, como por exemplo ser cercada por rios, que refletem em alagamentos durante o período chuvoso. 

"Teresina é uma cidade socioeconomicamente ainda pobre. Não temos recursos para resolver todos os problemas da cidade de uma vez só. A decretação do estado de calamidade é importante para que possamos buscar recursos de forma externa. O decreto visa precaver o município para algumas eventualidades e dar possibilidade para que a prefeitura possa agir com mais rapidez em determinadas circunstâncias", disse o secretário. 

Atualmente, os bairros mais atingidos na Capital são Residencial Dilma Rousseff, Parque Wall Ferraz, Santa Maria da Codipi, Nova Teresina, Pedra Mole, Cidade Jardim Vila Apolônia, povoado Soinho, Vila Washington Feitosa, Vila Andaraí, Parque Vitória, Santa Luz entre outros.

Miguel Alves

A elevação no nível do Rio Parnaíba surpreendeu moradores da cidade de Miguel Alves, a 110 km de Teresina. Das 56 famílias cadastradas como moradoras de áreas de risco, seis tiveram que ser removidas para um ginásio poliesportivo e outras 20 foram acolhidas por familiares ou amigos através do programa Família Acolhedora. 

Segundo Elpher Soares Lima, vice-prefeito da cidade, as secretarias de Habitação e Assistência Social estão acompanhando de perto a situação das famílias. 

O último alagamento de grandes proporções ocorreu em 2009. Não há registro de feridos, desaparecidos ou mortos.

Barras

Em Barras, a 119 km de Teresina, a situação também é crítica. Somente na noite desta quinta-feira (12), a Defesa Civil municipal recebeu mais de 50 chamadas apara atender famílias que estavam alagadas após a chuva da noite.

Os bairros mais atingidos devido a cheia do rio Marathaoan são Prainha, Pedrinhas, Riachinho e Xique-xique. 

Carlos Monte, prefeito da cidade, já havia solicitado ao governador Wellington Dias para que fosse decretada situação de emergência. Uma força-tarefa foi montada para atender os desabrigados.

Equipes da Defesa Civil municipal, Corpo de Bombeiros e Exército ajudam no socorro as vítimas. Os desabrigados estão sendo encaminhados para escolas e um ginásio.

                                         Município de Campo Maior (Foto: Gilvan Sousa)

P U B L I C I D A D E


Link
Comentar pelo facebook:

Notícias relacionadas