Home 
06/06/2016 às 16h09
Fla e Palmeiras serão denunciados por briga e podem jogar com portões fechados

Na súmula do duelo, que terminou com vitória palmeirense por 2 a 1, o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva falou da briga.

ESPN

O procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, vai oferecer denúncia até a próxima quinta-feira contra Flamengo e Palmeiras por causa da briga entre suas torcidas durante o duelo do último domingo, em Brasília, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Além de vídeos, outras provas estão sendo analisadas, e os clubes devem ser responsabilizados por desordens e por não manterem o local da partida - o Estádio Mané Garrincha - em condições de segurança, segundo Schmitt.

Flamengo e Palmeiras serão enquadrados nos artigos 211 - deixar de manter o local que tenha indicado para realização do evento com infraestrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização - e 213 - deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto - do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), inclusive com requerimento de interdição do estádio.

Isso significa que os dois clubes podem receber multa entre R$ 100 e R$ 100 mil além da interdição do local da briga baseado no primeiro artigo e outra multa de R$ 100 a R$ 100 mil com relação ao segundo artigo.

Além disso, eles correm risco de jogar suas partidas como mandantes com portões fechados, conforme diz o artigo 64 do CBJD: "As partidas correspondentes à pena de perda de mando de campo poderão ser realizadas, por determinação do STJD, no mesmo estádio em que o clube manda seus jogos com portões fechados ao público, vedada a venda de ingressos".

Na súmula do duelo, que terminou com vitória palmeirense por 2 a 1, o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva falou da briga.

"No reinício da partida houve um atraso de 12 (doze) minutos devido a um gás de pimenta usado na parte externa do estádio, vindo este para o interior do estádio no campo de jogo, usado num confronto de torcidas, informação que nos fora relatada pelos seguranças do estádio", diz o juiz.

P U B L I C I D A D E


Link
Comentar pelo facebook:

Notícias relacionadas