Home 
01/06/2017 às 09h46
Ex-vocalista Leya revela briga com Ximbinha por usar vestido sem calcinha

Leya diz que chegou a morar por meses na casa de Ximbinha, no Pará, e que a situação de dividir o mesmo teto com ele estava insustentável.

Exame Online

Quase dois meses após deixar a XCalypso, a cantora Leya Emmanuelly, de 25 anos, decidiu soltar o verbo e falar da conturbada relação que teve com o ex-patrão, Ximbinha. Ela afirma que as contantes brigas com o guitarrista seria o verdadeiro motivo de sair o grupo, após um ano e quatro meses na banda. Leya foi a segunda vocalista a trabalhar com o guitarrista desde a saída de Joelma e substituiu Thábata Mendes, que ficou apenas três meses na função.

A cantora contou que tinha uma relação difícil com Ximbinha. Ela comprovou isso com a divulgação de um áudio que ela afirma ser de uma briga entre eles. Leya diz que chegou a morar por meses na casa de Ximbinha, no Pará, e que a situação de dividir o mesmo teto com ele estava insustentável. Na conversa gravada sem o guitarrista saber, ela começa explicando o motivo de ter deixado a residência do patrão e ir morar com a mãe.

"Eu saí da tua casa já porque eu não queria saber coisa da tua vida íntima, eu digo 'não, eu não vou ficar aqui porque é a sua casa. Você quer sua privacidade e eu quero a minha", fala a cantora. Ximbinha, então, retrucou: "Tu tá muito respondona pra mim".

O bate-boca seguiu até que o guitarrista criticou um vestido que Leya usou durante a apresentação no programa de Fábio Porchat.

"Eu tô chateado até hoje com aquele negócio daquele vestido. Eu tô chateado porque, se tu não tivesse talento, eu nem me importava, tu ia nua, pra mim era bom, porque tu...". O guitarrista é interrompido por ela: "Eu não tava nua, Ximbinha, eu não tava vulgar". "Pra mim, tu tava vulgar, uma puta", xinga ele.

A cantora compara a reação dele com a de outras pessoas e esclarece que não houve críticas de fora. "Porque eles não viram lá o que eu vi", reclama ele. "Existem vestidos que a pessoa usa sem calcinha, Ximbinha. Eu não sou a primeira mulher no mundo", diz a pernambucana. No decorrer da discussão, ele afirma que ela deve "assumir o jeito de 'periguete'".

"Eu não gostei do jeito que tu tá falando comigo. Tu tem que me respeitar porque eu sou teu patrão", exige Ximbinha, mais adiante. "Eu sei disso, por isso que eu tô falando, mas, no momento que eu me sentir desrespeitada, eu tenho o direito de me defender", rebate ela. "O meu trabalho não vai ser desse jeito vulgar", responde ele, ao que, mais uma vez, ela repete não ser vulgar. "Eu não quero o trabalho de gente que vai se expor, eu não quero. Se tu quiser fazer o trabalho que tu quer aparecer, trabalho de funk, grave funk", continua ele. "Eu não vou gravar e eu tô me sentindo extremamente ofendida com isso, Ximbinha", rebateu ela.

Leya explica o motivo de ter gravado o áudio e afirma que as brigas com o ex-patrão eram constantes.

"Eu tinha medo de um dia ele beber, a gente discutir e ele ultrapassar aquilo dali. Várias momentos a gente ficou sem se falar, passava semanas sem olhar para a cara um do outro, sem nos suportarmos. Tinha que estar dentro da casa do meu patrão, não me dava bem com ele, e eu não estava contente. Ele xingou a minha pessoa. Resolvi gravar (o áudio da briga) porque eu sabia que eu ia sair e eu não tinha como provar as coisas que ele fazia comigo", diz ela.

Leya revela ainda que não tinha salário fixo e que recebia R$ 750 por apresentação. A cantora afirma que o grupo chegou a ficar dois meses sem tocar e que, por conta disso, passou aperto financeiro.

"Fui de Pernambuco para o Pará e tinha que ficar na casa dele. O que eu ganhava não dava. Confiei muito na palavra dele. Nesses 1 ano e 4 meses, passei uns 5, 6 meses morando com a minha mãe, que alugou uma casa no Pará. Pedi para ele alugar uma casa para mim, mas ele não alugou. Eu não conseguia ficar confortável na casa, e via que ele não ficava confortável, eu era funcionária 24 horas por dia. Eu sabia que era um reinicio, sabia que estava difícil, mas aquela situação estava prejudicando a banda. Várias momentos a gente ficou sem se falar, passava semanas sem olhar para a cara um do outro, sem nos suportarmos".

A cantora pediu para deixar da banda em abril e contratou um advogado para tentar romper o contrato de cinco anos que assinou com a XCalypso. Segundo ela, há uma cláusula no contrato que diz que apenas Ximbinha podia rescindi-lo. Por conta do contrato, ela também não poderia falar sobre sua saída da banda. "Estou presa a isso. Quero poder trabalhar e seguir a minha vida, mas não consigo".

Por meio da sua assessoria de imprensa, Ximbinha informou que recebeu as acusações da ex-vocalista com estranheza e afirma que lamenta todo esse episódio. "O que se tem a registrar diante de triste e desfocada situação, deseja a toda equipe da banda XCalipso paz e saúde, bem como a ex-vocalista Ley Emmanuelly encontre na música o sucesso que tanto almeja".

P U B L I C I D A D E 


Link
Comentar pelo facebook:

Notícias relacionadas